quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Depois do tempo

- e...tu me acalenta, é estranho...mas me sinto bem falando contigo.

- deve ser porque gosto tanto de ti...

- coisas assim que eu preciso ouvir, ler...enfim! gosta mesmo?

- gosto mais do que devia

- e devia ser quanto esse gostar?

- devia ser um gostar ingênuo de uma amizade

- e é um gostar ingênuo mas não de amizade?

- é, não de amizade...

- é mais...

- mais...?

- sim, mais que amizade... é que eu sinto vontades..

- de me ter perto?

- sim, tu entendeu...

- sim, tu fala isso sempre que a gente conversa, mas eu finjo sempre n entender. mas eu, hoje, entendi,

- é, eu percebi... hoje entendeu?

- entendi!

- só hoje?

- eu já tinha entendido antes, mas eu aceitei hoje.

- aceitou porque, mari?

- Por que? eu não sei direito, você me dá o que as pessoas com que me relaciono não me dão. carinho, palavras bonitas, declarações aquela coisa do tipo - você é tão linda! ou o olhar. e eu notei isso só agora. lembrando de como tu me olhava, como tu falava, como tu gostava de mim...tu pode me achar uma idiota agora, mas é isso que eu to sentindo, sinceramente, me veio tudo isso na cabeça agora, que nem um filme, cena por cena.

- não estou te achando uma idiota, só que eu... sei lá o que dizer...

- Não precisa dizer nada! eu que precisava dizer tudo.

- aai aai *suspiro*

- mudando de assunto...já leu pássaro azul do Bukowski?

3 comentários:

gica beerhouse disse...

tão lindo esse dialogo... (L)

Dídi disse...

aconteceu de verdade?

gica beerhouse disse...

não, foram suposições.