segunda-feira, 7 de abril de 2008

[ Começarei a postar um conto que estou escrevendo, logo abaixo está o inicio dele, obrigada pela atenção

Supostamente tudo foi suposto pela suposição

E quando acordou realmente sentiu aquela ironia tocar a ponta do seu pé e enquanto levantava, assim, lentamente, ela ia percorrendo todas as partes amargas de seu corpo, os poucos ia se tornando sutilmente irônico, percorreu suas coxas, seu estômago, e ela foram entrando, percorrendo seu corpo sem pedir permissão, chegou ao pescoço, a boca mudou de amarga para irônica, levantou bruscamente, e com aquele sorriso irônico desceu até a padaria, pediu 5 cacetinhos em uma padaria de São Paulo.
- como assim senhor? Cacetinhos?
- Sim, eu gostaria de comer 5 cacetinhos deliciosos e quentes. Mas quentes, entendeu?.
Apesar da confusão, lá saiu ele com seus 5 cacetinhos e com o saco na mão. Sorria, ironicamente ele sorria, e fazia isso com a sutileza de uma dama de honra. Caminhava na rua com passos firmes, fortes, quase quebrava o piso do seu apartamento. Mas tudo nesse dia tinha um propósito, nesse caso era o de incomodar os vizinhos do apartamento de baixo. Ahh, como ele se sentia bem naquele dia. Tudo que ele fazia estava lhe dando prazer. Há quanto tempo ele não sentia seu corpo sentir prazer. Como era boa aquela sensação.

2 comentários:

Paulo Vilmar disse...

Mariana!
Surpresas sempre vão pintar por aí...
\o/
Beijão!

balboa disse...

nem precisa do resto... essa parte já dava um bom pequeno conto ;)