terça-feira, 22 de abril de 2008

Estão doendo as memórias


Eu não sei mais o que escrever
Eu não sei nem mesmo mais o que pensar.
De repente a imagem do teu sorriso cravou na minha memória
Veio assim
súbito
e de tão súbito que veio
minha mente congelou
doeu
assim como dói quando se come sorvete muito rápido
Doeram as memórias
e teu sorriso matou o meu.
Condena-me!
Eu deixo.
Você pode tudo agora.
Só não pode não me querer mais.

Um comentário:

balboa disse...

raro é algo não doer.