sábado, 19 de abril de 2008

Uma frase sem final


Guarde dentro de ti tais palavras
cometa longe de mim seus atos boêmios
Não chegue assim
não abra seu sorriso na minha frente
não me olhe com cara de condenação
como se ainda fosse teu o meu amor
Beija-me a boca, mas não rouba de mim minhas forças
não me chame para conversar
nas escadas daquele bar
numa noite sombria
me pedindo ajuda,
e falando de suas aventuras
E a cada palavra sua
eu sinto o gosto amargo na boca
de amor passado que quer voltar
eu já não quero olhar nos seus olhos
que é pra você não ver
seu amor envolto no meu olhar.
Eu passo o tempo
com café, cigarros e fotos suas em minhas mãos.
e todos os dias, quando chega a noite
Eu lembro da frase que eu não deixei você terminar de falar
eu quero
eu aceito
Mas a frase não vai mais ser dita.
Eu a apaguei. Assim como apaguei o nosso amor.
Assim como eu me apago todos os dias
quando vejo da janela
seu olhar de amor pra mim
e seu sorriso de malicia pra outra.
Eu aceito.

4 comentários:

Kalar disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
balboa disse...

nem sempre se pode ganhar...

Nikki ~ disse...

Interessante. Continua escrevendo bem (:

;@~

Paulo Vilmar disse...

Mariana!
"...Eu passo o tempo
com café, cigarros e fotos suas em minhas mãos.
e todos os dias, quando chega a noite
Eu lembro da frase que eu não deixei você terminar de falar"...
é uma das passagens poéticas mais lindas que já li!
Cada vez melhor nos teus fingires...
Beijos!