quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Querer

Te querer do meu lado

não pode

não deve

e não é

crime algum.

Mesmo que o fosse

ainda assim iria te querer

do meu lado

ao meu lado

toda hora

se só te querer

bastasse pra ter você

no momento em que te vi

já te tomaria pra mim,

assim,

sem pedir licença

Mas nada é simples

ou é?

Sou de complicar tudo

e de tudo misturar

misturo meu mundo

que de fantasia vive

com o seu

que de amor sobrevive

A questão é que

passa tempo

e nesse

passatempo

vou vivendo

e de mansinho

(ou será já de imansidão)

vou te querendo.

Ficar do seu lado

ver sua boca

seus olhos

seu carinho em meu pescoço

saber que me quer

assim como te quero

que nossos desejos são

assim,

os mais secretos

Vontade de você.

De na despedida

nosso abraço poder ser completo

Te quero mais que tudo

meu coração suplica

grita

manda te falar coisas loucas.

você me deixa louca.

Ainda vou selar nossa despedida com um beijo

desvendar o secreto dos nossos desejos

e te roubar pro meu mundo.

3 comentários:

Anônimo disse...

nos meus sonhos elas quer entrar, quer invadir meu labiriinto, quer quebrar os meus discos, pixar meu muro, ela quer roubar meu coração. quer ser a dona dos meus delirios e da minha imensidão. amo amo amo

Inglês do Francês. disse...

Sabe, a lua, o céu, estavam lindos ontem. E eu só pensava em te ter comigo naquela hora. Dividir aquela mesma coberta no frio de uma noite olhando para a lua, que se cobria por causa do eclipse ( o mais lindo que já vi!). As estrelas que formavam desenhos. E a que caiu do céu, faço um pedido. Dizem que você não pode contá-lo, mas eu tenho certeza que você sabe qual foi. Isso tudo que escreveu....
Não sei como verbalizar todos esses sentimentos. Te digo -Também! - depois do que li. É o que quero. Passar meu tempo com você. Ser seu tempo.
Ser seu amor. Ser quem cuida de você sempre. Ser o que você quiser.
Um longo abraço de despedida, meio choroso. De não se querer largar e de se sentir vazio depois que se solta.

(L) você.
E muito.

Carolina disse...

Ai Mari, amo tua escrita! Confesso que to com saudade de te ler.

Um beijo!