quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Para o todo sempre, eternos amores.


No ócio total em que me encontro, acabei por pensar no quanto às pessoas reclamam de seus relacionamentos anteriores, reclamam e falam com um ódio, uma raiva, uma sede de vingança que deixa duvidar do amor que um dia teve.

Ta certo que eu não tenho uma longa experiência no assunto e nunca tive lá o que se pode chamar de relacionamento duradouro para poder falar assim, tão certamente, de um assunto que não vivenciei por longo tempo, mas tive sim os meus "casinhos" e deles eu posso falar com toda a certeza.


Não tive nenhuma decepção amorosa que me fez chorar por dias sem parar( apenas por algumas horas), nunca tive algum relacionamento com mais de três meses, nunca levei alguém para casa e apresentei aos meus pais como meu namorado e nunca conheci a mãe dos meus “casinhos". Mas isso não quer dizer que não os amei, e nossa, amei cada um com tanta intensidade que posso dizer ,chorei algumas horas sim, aliás, chorar por amor é tão bom.

Mas enfim, o que eu quero falar é que por maiores, por menores, por mais dolorosos, ou por mais infelizes, todos os amores da nossa vida nos trazem conseqüências boas, claro, não teremos mais aquele amor junto de nós, não viveremos mais momentos nossos e não iremos mais discutir a relação...Mas e os tantos momentos bons que esses romances nos trouxeram não compensa a dor de um fim?


É incrível, a pessoa termina o relacionamento e jura por toda a vida que irá se vingar daquele(a) idiota que o fez sofrer por dias, que o fez perder tempo e gastar juras de amor. Não se perde tempo com ninguém, só se ganha; não se gasta juras de amor com ninguém, só recebe carinho e admiração em troca; e não se sofre de ausência de amor, e sim pela presença do rancor.


Amar é tão bom, e sempre vamos continuar amando aqueles que um dia nos puxaram pela mão e nos disseram “ eu te amo” no ouvido. O amor é infinito, dura à eternidade, é hipocrisia dizer que se odeia alguém que um dia fez você sorrir.

É, não tenho cacife pra falar de relacionamentos duradouros, mas tenho amor pra falar de amor. E acredite, cada "casinho" meu será meu e terá o meu amor para o todo sempre.

4 comentários:

Elenara Teixeira disse...

Ao longo da minha vida descobri com os meus amores, que não é o tempo que dimensiona a grandeza de um amor e sim as cicatrizes, marcas, aromas e cheiros, perfumes e lembranças que deixaram.
Amei todos os meus amores e por causa disso os faço sempre, poesia!
Um abraço!

Paulo Vilmar disse...

Amada!
Belíssimo texto. O amor não é medido pelo tempo normal da terra, o amor tem seu próprio tempo. Ele(amor) não segue leis terrenas e no final, acabamos mesmo concordando com você, todos os amores têm sua importância e grandeza. Já dizia o poeta, que seja eterno enquanto dure...
Beijos...

a cor não existe disse...

bah
meu pai sempre me disse isso quando vinha um tia perguntar de qual eu gostei mais heuehuehue...
queria eu que tds as pessoas pensassem assim...

bjão mari

adorei o texto

Carolina disse...

A nossa história é composta pelos nossos momentos e o amor compõe cada minuto de nossas vidas. Como podemos esquecer das coisas boas e só lembrarmos das coisas ruins!
Pessoas com fome de vingança e pensamentos ruins existem não só em relacionamentos amorosos como em todas as nossas relações! Será que isso nunca terá fim!?