segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Encontro ideal


Inesperado. Ela o olha, ele a olha, o frio na barriga faz com que ambos fechem os olhos, se aproximam, ela olha para baixo e ele persiste em olhá-la, ela levanta o rosto, o pega olhando para ela e fixamente olha para ele, olhos nos olhos eles se reconhecem, chegam mais perto (o frio na barriga aumenta a cada passo), as mãos estão suando frio, incrível como não pensam em nada, só naquele momento, não existe mais música (embora a música esteja altíssima), não existe mais gente (embora estejam no meio de tanta gente), se encontram (e se encantam), abraçam-se (e amassam-se) e um beijo cala ( e responde) o primeiro eu te amo.

3 comentários:

Paulo Vilmar disse...

Mariana!
Lindo texto que vem da alma!
tenho certeza...
Beijos!

Daniel disse...

agora sim, senhorita Mariana, muito mais fácil de comentar. eu posso colocar meu "apelido", como chama o Blogger.

quanto ao post. eu sinto muito quebrar o clima dos pombinhos em seu encontro, mas se tu tivesse feito mais um parágrafo ia ver que não dava pra eles irem do jeito que estavam indo sem passar desapercebido pelo público. iam ser presos por atentado ao pudor, hehe. não foram - e essa é a vantagem dos posts de um parágrafo ;-)

Daniel disse...

agora sim, senhorita Mariana, muito mais fácil de comentar. eu posso colocar meu "apelido", como chama o Blogger.

quanto ao post. eu sinto muito quebrar o clima dos pombinhos em seu encontro, mas se tu tivesse feito mais um parágrafo ia ver que não dava pra eles irem do jeito que estavam indo sem passar desapercebido pelo público. iam ser presos por atentado ao pudor, hehe. não foram - e essa é a vantagem dos posts de um parágrafo ;-)